Os corpos incorruptos | 20/08/2013


Irmã Santa Bernadette, no mundo mostras à humanidade, que uma pessoa, para chegar ao ponto como você chegou, que até o seu corpo continua inteiro até hoje pelo Poder de Deus, Nosso Criador.

O juiz deste mundo, quando ele pensa em destruir o que Deus fez, ele jamais terá força suficiente. Não só eu, que meu santo corpo continua intacto, e sim de muitos outros. Isto prova que O Nosso Bom Deus mostra O Poder que Ele tem, para que os que não acreditam na Eternidade, possam pensar um pouco melhor, que a vida não se acaba por aqui, aqui só foi o começo, a Vida começa depois que deixa a Terra em santidade. Para chegar ao ponto como eu cheguei, é preciso que a pessoa se entregue inteiramente ao Nosso Salvador. Foi por isso que Ele veio ao mundo pela primeira vez, para mostrar a toda a humanidade que nem tudo está perdido. Por isso, meu irmão Pedro II, tu foste escolhido para mostrar toda a verdade, que Deus existe, e não como os que se dizem servidores, que mostram o que pensam que são, mas a Vontade de Jesus não fazem, que é cumprir todos os Mandamentos. Até nisto eles não falam, deixam a desejar, nas Santas Missas, onde deveriam falar mais no Evangelho, e não no que o homem deixou de fazer, que seriam as histórias de cada um que se santificou. Como por exemplo, quase não se vê os padres falarem em mim, como tantos outros que continuam com o corpo intacto até hoje. São tantas histórias bonitas, que se eles procurassem falar mais sobre o bom comportamento dentro da Igreja, muitos não teriam saído dela, a Igreja que Jesus passou a Pedro I. Por ironia do diabo, quis ele acabar com tudo isto, só que se esqueceu que acima de tudo isto está O Nosso Criador, junto com Sua Santa Mãe que nos ensinou espiritualmente, como foi o meu caso. Ela, por Sua vez, me mostrou o Caminho que nos leva à Eternidade. A grandeza de Deus, Nosso Criador, está aí para que todos possam ver, meu corpo como de tantos outros, por inteiro, onde a terra não pode consumir.

Santa Bernadette e Pedro II

(Obs. Mensagem recebida pelo Confidente Católico Bento da Conceição –Taquaras – Balneário Camboriú – Santa Catarina – Brasil. Informações (0xx47) 3367-7110) Mais Mensagens.

domingo, 10 de setembro de 2000

São Nicolau de Tolentino


    São Nicolau nasceu em Santo Ângelo em março de Ancona, mas é chamado Nicolau de Tolentino, de ter residido durante os últimos trinta anos de sua vida no último lugar. Seus pais, Campanus e Amata, eram longos, sem problema, e desejando ser abençoado com um filho, eles fizeram uma peregrinação a Bari, para o santuário do santo bispo São Nicolau. Tendo mais fervorosamente realizaram suas devoções, eles foram favorecidos com uma aparição do Santo, que lhes disse que eles teriam um filho, a quem eles devem chamar Nicholas, e que se tornaria um homem de eminente virtude. A verdade desta previsão logo foi dado a conhecer. 


Amata deu à luz um filho, que, de acordo com o comando do Santo, foi nomeado Nicholas. Foi um fato marcante, que a partir de sua infância, Nicholas possuía, em um grau eminente, o espírito de oração, e quando, como é o hábito das crianças, ele derramou lágrimas, nada poderia acalmá-lo mais facilmente do que ser dito que eles iriam levá-lo à igreja. Quando lá estava ele, sempre calmo, e como ele se tornou mais velho, ele mostrou uma reverência que era verdadeiramente angelical. Ele nunca falou uma palavra, enquanto na casa de Deus, nunca olhou com curiosidade sobre. Em toda a sua conduta nunca foi visto qualquer infantilidade ou frivolidade. 


 São Nicolau de Tolentino, ressuscita uma criança.

Quando tinha idade suficiente para começar seus estudos, ele mostrou entusiasmo notável para adquirir conhecimentos, e fez um grande progresso: em conseqüência do que ele era, quando ainda muito jovem, admitiu entre os cânones da Igreja de São Salvador. Mas um dia, ao ouvir um sermão sobre as palavras do Apóstolo: "Não ameis o mundo, ou o que está no mundo", proferida por um eremita agostiniano, ele percebeu um desejo interior para deixar tudo o que é temporal, e servir a Deus mais perfeitamente em um estado religioso. Daí ele foi, imediatamente após o sermão, para o superior da Ordem, e pediu para ser recebido como um novato. Seu pedido foi atendido, e cumprindo a profecia de São Nicolau, que deu, já no ano de sua liberdade condicional, as manifestações de virtudes verdadeiramente eminentes, que o levou a ser autorizados a fazer a sua profissão mais cedo do que era habitual. 


São Nicolau de Tolentino, salva uma criança afogada.
  
Sua mortificação constante excitou a admiração de todos com quem ele entrou em contato. Ele tinha ouvido, quando apenas sete anos de idade, que o seu santo padroeiro, São Nicolau, teve, quando uma criança, absteve-se todas as quartas e sexta-feira, do seio de sua mãe, e começou imediatamente a passar os mesmos dois dias sem qualquer alimento. Para estes dois dias de jejum, que, com o passar do tempo, acrescentou mais dois. Durante 30 anos, ele nunca comeu carne ou peixe, ele mesmo se absteve de ovos, leite e frutas, contentando-se com pão, legumes e água. Mesmo quando seriamente doente, ele não desviou esta austeridade. Certa vez, quando os médicos prescreveram carne para ele, o superior geral da Ordem ordenou-lhe que siga os seus conselhos, ele obedeceu, mas ter tomado um pouco, ele pediu para ser dispensado de comer, pois, dizendo que ele, iria recuperar a força sem ela, o que não deixou de acontecer. 

São Nicolau de Tolentino, ressuscita duas pombas.

Além destes jejuns contínuos, o santo homem castigou seu corpo inocente de várias maneiras. Ele sempre usava uma camisa de cabelo, e mandou açoitar-se todas as noites, com uma corrente de ferro. Ele deu um breve descanso, à noite no chão nu, e nunca permitiu que seu corpo a menor recreação. Um dia, quando alguém lhe disse para não ser muito severo consigo mesmo, ele disse: "Eu não entrei no estado religioso para o meu próprio conforto."   

 O demônio, esforçou-se em vão para perturbar o zelo piedoso do servo de Deus, por visões terríveis e maus-tratos cruéis, mas Nicholas aderiu fielmente o caminho que havia escolhido. Sua solicitude para a salvação das almas era incansável, e ele reformou um grande número de seus sermões e discursos particulares. Para visitar os doentes e prisioneiros e para confortar e ajudá-los, era o seu maior prazer. 



 Não foi menos profunda compaixão pelas almas do purgatório, e como ele oferecido suas orações, suas penitências e Santa Missa para eles, ele lançou uma grande parte de seu sofrimento. Para Maria, a Mãe Divina, ele foi mais fervorosamente dedicado a partir de sua infância e, portanto, ele recebeu muitos e grandes favores dela.Certa vez, quando sofria de uma febre grave, ele pensou que sua última hora havia chegado, e ele foi superado com medo, meditando nos acórdãos do Todo-Poderoso. Ele apelou para sua amada Mãe, a Virgem Maria, que se dignou a aparecer-lhe, dizendo-lhe para deixar de lado todo o medo e ter esperança. Ela, ao mesmo tempo, abençoado um pedaço de pão que estava deitada ao lado dele, e disse-lhe de comer, o que ele não tinha feito mais cedo, assim fazendo-o, a febre o deixou. Esta é a origem do chamado pão Tolentino, que é abençoado na festa deste santo, e muitas vezes é muito benéfico para o doente.

São Nicolau de Tolentino, ressuscita duas pombas.
  Ele próprio operou muitos milagres em favor dos enfermos e pobres, como pode ser visto em sua biografia. Nós só iremos adicionar algumas linhas sobre a sua morte feliz, a hora que Deus tinha revelado a ele, mas que foi precedida por uma doença dolorosa, que durou seis meses. Durante este tempo, ele derivou um consolo indescritível de música celestial que ele ouviu durante a noite ou pela manhã. Várias vezes, este foi ouvido também por aqueles que estavam com ele. Ele recebeu os sacramentos com maravilhosa devoção, derramando muitas lágrimas. O crucifixo, que anexou uma partícula da madeira da cruz santa, beijou fervorosamente, pedindo ao Todo-Poderoso para ajudá-lo em seu último combate, e para protegê-lo de todos os perigos pelo poder da Santa Cruz. Além disso, seu coração encheu-se com o desejo de ver Deus no céu, a quem ele amava acima de tudo na terra. Por isso ele chamou em voz alta, várias vezes: "Oh que eu possa ser dissolvido, e estar com Cristo!" Pouco antes de morrer, uma santa alegria foi visto em seu rosto, e quando perguntado a causa disso, ele respondeu: "Nosso Senhor, Jesus Cristo, apoiando-se em cima de sua amada Mãe e Santo Agostinho, me chama com estas palavras: "Vem, ó servo piedoso e fiel! Entrar no gozo do teu Senhor" Tendo dito isso, ele fixou os olhos sobre o crucifixo, dizendo: "Senhor, nas tuas mãos entrego o meu espírito", e expirou.

Ele é representado com um lírio na mão e uma estrela no peito. O lírio representa a pureza angelical e inocente que ele manteve inviolável;  a estrela, a vida santa do grande servo do Altíssimo St. Nicholas foi, durante sua vida, uma estrela brilhante na igreja de Deus, em conta de suas muitas e grandes virtudes. Seu túmulo brilha ainda, nos nossos dias, com uma luz divina, por causa dos muitos e grandes milagres com que Deus honra seu servo fiel. 

Corpo Incorrupto de São Nicolau de Tolentino


Nenhum comentário: