Os corpos incorruptos | 20/08/2013


Irmã Santa Bernadette, no mundo mostras à humanidade, que uma pessoa, para chegar ao ponto como você chegou, que até o seu corpo continua inteiro até hoje pelo Poder de Deus, Nosso Criador.

O juiz deste mundo, quando ele pensa em destruir o que Deus fez, ele jamais terá força suficiente. Não só eu, que meu santo corpo continua intacto, e sim de muitos outros. Isto prova que O Nosso Bom Deus mostra O Poder que Ele tem, para que os que não acreditam na Eternidade, possam pensar um pouco melhor, que a vida não se acaba por aqui, aqui só foi o começo, a Vida começa depois que deixa a Terra em santidade. Para chegar ao ponto como eu cheguei, é preciso que a pessoa se entregue inteiramente ao Nosso Salvador. Foi por isso que Ele veio ao mundo pela primeira vez, para mostrar a toda a humanidade que nem tudo está perdido. Por isso, meu irmão Pedro II, tu foste escolhido para mostrar toda a verdade, que Deus existe, e não como os que se dizem servidores, que mostram o que pensam que são, mas a Vontade de Jesus não fazem, que é cumprir todos os Mandamentos. Até nisto eles não falam, deixam a desejar, nas Santas Missas, onde deveriam falar mais no Evangelho, e não no que o homem deixou de fazer, que seriam as histórias de cada um que se santificou. Como por exemplo, quase não se vê os padres falarem em mim, como tantos outros que continuam com o corpo intacto até hoje. São tantas histórias bonitas, que se eles procurassem falar mais sobre o bom comportamento dentro da Igreja, muitos não teriam saído dela, a Igreja que Jesus passou a Pedro I. Por ironia do diabo, quis ele acabar com tudo isto, só que se esqueceu que acima de tudo isto está O Nosso Criador, junto com Sua Santa Mãe que nos ensinou espiritualmente, como foi o meu caso. Ela, por Sua vez, me mostrou o Caminho que nos leva à Eternidade. A grandeza de Deus, Nosso Criador, está aí para que todos possam ver, meu corpo como de tantos outros, por inteiro, onde a terra não pode consumir.

Santa Bernadette e Pedro II

(Obs. Mensagem recebida pelo Confidente Católico Bento da Conceição –Taquaras – Balneário Camboriú – Santa Catarina – Brasil. Informações (0xx47) 3367-7110) Mais Mensagens.

sexta-feira, 19 de maio de 2000

Santa Joaquina de Vedruna



Santa Joaquina de Vedruna (ou Joaquima , em catalão ) (16 abril de 1783 - 28 de agosto, 1854) foi uma freira espanhol, fundadora das Irmãs Carmelitas da Caridade . Ela nasceu em uma família nobre. Em 1799, ela se casou com o advogado e proprietário de terras, Teodoro de Mas (a partir de Vic , em Barcelona província da Espanha ), com quem teve nove filhos. Seu marido morreu em 1816, ela se mudou com os filhos para sua propriedade em Vic. Aqui, ela iniciou suas atividades de caridade com as mulheres doentes e jovens. Seu diretor espiritual , o capuchinho Esteban de Olot, sugeriu que ela estabelecer uma congregação apostólica dedicada à educação e à caridade. O bispo de Vic , Pablo Jesús Corcuera , disse que o instituto deveria ser de inspiração carmelita. O mesmo bispo escreveu a regra em 6 de Fevereiro de 1826 e 20 dias depois, ela e outras oito mulheres professaram os votos. Dentro dos próximos anos, as Carmelitas da Joaquina, fundaram várias casas na Catalunha. Durante a Primeira Guerra Carlista (a guerra civil na Espanha 1833-1839), ela teve de fugir da Espanha, porque ela havia fundado um hospital na carlista, cidade de Berga, que foi ameaçado pelos combates. Como resultado, ela foi para Roussillon, França, onde permaneceu entre os anos de 1836-1842.
Sua congregação apostólica foi definitivamente aprovada em 1850. Apesar dos sérios desafios colocados pela guerra civil e da oposição secular, o instituto que fundou logo se espalhou na Catalunha. Depois disso, as comunidades foram estabelecidas em toda a Espanha e América Hispânica. 
Eventualmente, ela foi forçada a demitir-se como superiora de sua ordem, devido a doença, embora ela morrera durante uma epidemia cólera em Barcelona, ​​ela lentamente sucumbiu à paralisia ao longo dos últimos quatro anos de sua vida. Até o momento de sua morte em 1854 na idade de 71 anos, Joaquina era conhecida e admirada por seu alto grau de oração, profunda confiança em Deus e por sua caridade altruísta. Ela foi beatificada pela Igreja Católica em 1940 e foi canonizado em 1959.

Ela está enterrada nas Carmelitas da casa-mãe da Caridade em Vic. O corpo de Santa Joaquina de Vedruna,  encontrasse incorrupto. 

Nenhum comentário: