Os corpos incorruptos | 20/08/2013


Irmã Santa Bernadette, no mundo mostras à humanidade, que uma pessoa, para chegar ao ponto como você chegou, que até o seu corpo continua inteiro até hoje pelo Poder de Deus, Nosso Criador.

O juiz deste mundo, quando ele pensa em destruir o que Deus fez, ele jamais terá força suficiente. Não só eu, que meu santo corpo continua intacto, e sim de muitos outros. Isto prova que O Nosso Bom Deus mostra O Poder que Ele tem, para que os que não acreditam na Eternidade, possam pensar um pouco melhor, que a vida não se acaba por aqui, aqui só foi o começo, a Vida começa depois que deixa a Terra em santidade. Para chegar ao ponto como eu cheguei, é preciso que a pessoa se entregue inteiramente ao Nosso Salvador. Foi por isso que Ele veio ao mundo pela primeira vez, para mostrar a toda a humanidade que nem tudo está perdido. Por isso, meu irmão Pedro II, tu foste escolhido para mostrar toda a verdade, que Deus existe, e não como os que se dizem servidores, que mostram o que pensam que são, mas a Vontade de Jesus não fazem, que é cumprir todos os Mandamentos. Até nisto eles não falam, deixam a desejar, nas Santas Missas, onde deveriam falar mais no Evangelho, e não no que o homem deixou de fazer, que seriam as histórias de cada um que se santificou. Como por exemplo, quase não se vê os padres falarem em mim, como tantos outros que continuam com o corpo intacto até hoje. São tantas histórias bonitas, que se eles procurassem falar mais sobre o bom comportamento dentro da Igreja, muitos não teriam saído dela, a Igreja que Jesus passou a Pedro I. Por ironia do diabo, quis ele acabar com tudo isto, só que se esqueceu que acima de tudo isto está O Nosso Criador, junto com Sua Santa Mãe que nos ensinou espiritualmente, como foi o meu caso. Ela, por Sua vez, me mostrou o Caminho que nos leva à Eternidade. A grandeza de Deus, Nosso Criador, está aí para que todos possam ver, meu corpo como de tantos outros, por inteiro, onde a terra não pode consumir.

Santa Bernadette e Pedro II

(Obs. Mensagem recebida pelo Confidente Católico Bento da Conceição –Taquaras – Balneário Camboriú – Santa Catarina – Brasil. Informações (0xx47) 3367-7110) Mais Mensagens.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2000

Santa Catarina de Ricci


A vida desta santa é uma das mais prodigiosas, por arrebatamentos, êxtases, graças extraordinárias de qualquer natureza que preencher. Catherine nasceu em Florença, em 1522. Na idade de três anos, viu na prática da oração, buscar a solidão e o silêncio para entregá-lo mais confortável, e sua oração foi tão coletado, que parecia absorvido no espírito como Deus e imerso na contemplação dos mistérios. 


A Paixão de Jesus Cristo já foi objeto de ardor vivo do seu amor, e por seu prelúdio infantil para este exercício admirável devoção a Jesus Crucificado, que é o personagem mais marcante de sua vida. Tirou o véu aos treze anos na República Dominicana. 



Esta, na idade de dezenove anos, ela recebeu a graça sem precedentes para ver a mudança por Nosso Senhor o seu coração de Maria. Poucos meses depois, ela teve um êxtase memorável da Paixão, que durou vinte e oito horas, e no qual ela participou sucessivamente detalhadamente todas as cenas da Paixão do Salvador, aparecendo em si, por suas ações, cada um sofrer torturas, ela testemunhou. Esse acontecimento foi renovado a cada semana, durante os últimos doze anos da sua vida. Foi ouvido nestes êxtases, as exclamações de pressão santos de dor e amor.  


O que é uma sensação para as inúmeras testemunhas destas maravilhas, a  marca da verdadeira virtude é a humildade, que vai mostrar que Catherine foi bem conduzido pelo Espírito de Deus. Ela tinha aprendido que suas irmãs ficaram satisfeitos para escrever, para manter a memória, a relação de todas as graças e favores extraordinários que o Céu tinha preenchido. 


Ela não teve descanso até ter escrito todas as suas memórias. Um dia, enquanto suas irmãs estavam na oficina, ela entrou em suas celas, ela apreendeu todos os manuscritos que ela pudesse atender, colocá-los em um saco, e com a irmã padeiro com o forno aquecido: "Olha", disse ela, rapidamente queimar tudo isso, porque ai de nós se estivéssemos em casa!"



Teve uma influência muito importante em São Pio V, São Carlos Borromeu, São Felipe Neri e Santa Maria Madalena . Durante um de seus êxtases, a Virgem leva-a pela mão e levou-o ao seu filho: "Ó meu filho, aqui eu apresento a vocês a nossa querida virgem Catherine, buscando sua afeição com a mudança de coração de carne em um coração muito celestial, de modo que é mais digno de vós, tendo um coração como o seu. Ó querida Mãe, eu nunca neguei nada, a seu Coração.” "Não é o caminho natural para o meu Coração. Não vai ser feito o que você pediu. E você, minha querida filha, Catherine, lembre-se que a partir deste momento você não está sozinho, e está tudo em Mim, porque aqui eu limpo o seu coração de qualquer condição de que não é meu, e eu enchi com meu único Amor.”


"Nós não damos as pedras preciosas e pérolas para aqueles que não sabem o preço. Nem eu, eu não entregar Meus presentes e favores para aqueles que não apreciá-los. Vou dar apenas para as almas que fazem minha vontade procuram." 

Nosso Senhor Jesus Cristo para Santa Catarina de Ricci.




Sua morte veio em 02 de fevereiro de 1589. A última oração foi ouvida expirar em seus lábios era o Pater Noster. O convento, em seguida, ressoava com harmonioso canto dos anjos. Em diferentes lugares, santos teve a visão de uma magnífica procissão de santos e santas, no final da procissão, Jesus levou sua gloriosa esposa. 


Note-se que Santa Catarina de Ricci era amiga de São Felipe Neri , fundador do Oratório, com quem manteve uma relação de correspondência e conversou com ele no mesmo culto à memória de Savonarola. Uma vez Santa Catarina de Ricci recebeu de Nosso Senhor Jesus Cristo, o anel em branco, uma coroa de espinhos na cabeça, rezando diante do crucifixo - Nosso Senhor vai fingir para abraçar nossa Santa.






Fonte:
http://hodiemecum.hautetfort.com/index-12.html
http://je-n-oeucume-guere.blogspot.com.br/2009_02_01_archive.html

Nenhum comentário: