Os corpos incorruptos | 20/08/2013


Irmã Santa Bernadette, no mundo mostras à humanidade, que uma pessoa, para chegar ao ponto como você chegou, que até o seu corpo continua inteiro até hoje pelo Poder de Deus, Nosso Criador.

O juiz deste mundo, quando ele pensa em destruir o que Deus fez, ele jamais terá força suficiente. Não só eu, que meu santo corpo continua intacto, e sim de muitos outros. Isto prova que O Nosso Bom Deus mostra O Poder que Ele tem, para que os que não acreditam na Eternidade, possam pensar um pouco melhor, que a vida não se acaba por aqui, aqui só foi o começo, a Vida começa depois que deixa a Terra em santidade. Para chegar ao ponto como eu cheguei, é preciso que a pessoa se entregue inteiramente ao Nosso Salvador. Foi por isso que Ele veio ao mundo pela primeira vez, para mostrar a toda a humanidade que nem tudo está perdido. Por isso, meu irmão Pedro II, tu foste escolhido para mostrar toda a verdade, que Deus existe, e não como os que se dizem servidores, que mostram o que pensam que são, mas a Vontade de Jesus não fazem, que é cumprir todos os Mandamentos. Até nisto eles não falam, deixam a desejar, nas Santas Missas, onde deveriam falar mais no Evangelho, e não no que o homem deixou de fazer, que seriam as histórias de cada um que se santificou. Como por exemplo, quase não se vê os padres falarem em mim, como tantos outros que continuam com o corpo intacto até hoje. São tantas histórias bonitas, que se eles procurassem falar mais sobre o bom comportamento dentro da Igreja, muitos não teriam saído dela, a Igreja que Jesus passou a Pedro I. Por ironia do diabo, quis ele acabar com tudo isto, só que se esqueceu que acima de tudo isto está O Nosso Criador, junto com Sua Santa Mãe que nos ensinou espiritualmente, como foi o meu caso. Ela, por Sua vez, me mostrou o Caminho que nos leva à Eternidade. A grandeza de Deus, Nosso Criador, está aí para que todos possam ver, meu corpo como de tantos outros, por inteiro, onde a terra não pode consumir.

Santa Bernadette e Pedro II

(Obs. Mensagem recebida pelo Confidente Católico Bento da Conceição –Taquaras – Balneário Camboriú – Santa Catarina – Brasil. Informações (0xx47) 3367-7110) Mais Mensagens.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2000

Beato Sebastián de Aparicio


Religioso franciscano espanhol nascido na região rural de La Gudiña, Orense, que fez fortuna como empresário no México, construindo estradas e explorando negócios com meios de transporte e que, posteriormente, com mais de 70 anos, entrou para a Ordem Franciscana e tornou-se um generoso benfeitor dos pobres, distribuindo sua riqueza.
De origem campesina, era o terceiro filho dos lavradores Juan Aparicio e Teresa Prado, e cresceu analfabeto, trabalhando os animais domésticos da fazenda, na agricultura da terra e em profunda religiosidade.

Depois da morte dos pais assumiu os serviços da fazenda, mas ao ouvir as histórias do Novo Mundo, passou a sonhar com a América. Aos 20 anos decidiu-se pela aventura e partir para novos caminhos onde pudesse ganhar dinheiro e para melhorar a situação econômica de seus parentes. Partiu para Castilla, depois Padornelo, Sanabria e Zamora até chegar a Salamanca. Desinteressado por estudos, trabalhou duro enquanto a idéia de ir para a América não lhe abandonava.



Finalmente (1533) embarcou no porto de Sanlúcar de Barrameda, como faziam naquela época milhares de aventureiros, soldados, mercadores, lavradores, missionários etc, para a Nueva España, em busca do eldorado americano.Depois de três meses de navegação desembarcou em Vera Cruz e seguiu para a nova cidade fundada (1531) pelo franciscano Toribio de Benavente para receber os imigrantes: Puebla de los Angeles.


Pés do Beato Sebastián de Aparicio

Começou como lavradores com a facilidade e a abundância de terras logo prosperou com suas pastagens e aumentando o rebanho de bovinos e cavalos. Dois anos depois (1535) percebeu o filão e começou a investir no transporte de mercadorias e passageiros entre Vera Cruz, Publa, Cidade do México e outras localidades e assim transformou-se no primeiro empresário do ramo na história do país.

Em menos de 20 anos de investimentos em meios de transporte e estradas, já era um dos homens mais ricos do México. Vendeu sua transportador (1552) e comprou uma grande propriedade cultivável entre Tlalnepantla e Atzcapotzalco, próxima da capital mexicana e passou a praticar benevolências com todos os pobres e necessitados que o procuravam. Aos 51 anos mudou-se para Atzcapotzalco e cinco anos depois, casou-se na igreja franciscana do convento de Tacuba, mas um ano depois sua esposa faleceu e casou-se novamente dois anos depois, então com María Esteban, que também morreria apenas oito meses depois.


Muito doente, resolveu não mais se casar e se dedicar aos pensamentos cristãos e se retirou para o convento franciscano de Tlalnepantla e começou a distribuir suas riquezas entre os pobres. Dou, por exemplo, 20.000 pesos (1573) para o convento das Pobres Clarissas da Cidade do México. Vestiu (1574 ) o hábito franciscano, como noviço, no convento de San Francisco de México.

Viveu o resto de seus dias pregando e praticando caridade, humilde e infatigável, enquanto sofria de uma doença nunca identificada.



Morreu em Puebla de los Angeles (1600) e foi sepultado no convento local de San Francisco, onde seu corpo que hoje se encontra exposto em uma redoma transparente, misteriosamente não se decompôs, gerando romarias e venerações. Foi beatificado pelo papa Pío VI el 17 de maio (1789) e sua festa votiva é comemorada no dia 25 de fevereiro.


Reportagem sobre o Milagre:

2 comentários:

Lucano disse...

Gostaria muito de ver matéria sobre Santa Clara de Assis.

Gilbertokowalskijunior Kowalski disse...

gostaria de deixar meu comentario eu estava sendo enganado na compra de um veiculo, dai eu vi a reportagem do frei e resolvi pedi ajuda a ele e tudo se resolveu dois dias depois ;gostaria de dizer so soube que estava sendo enganado depois que eu pedi ajuda ao frei .meu nome é gilberto e moro em pelotas rio grande do sul.